Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 (69) 3322-2589

Encontre o que deseja

NO AR

A Voz do Brasil

    Acidentes

STF derruba lei de Rondônia que proibia destruição de máquinas utilizadas em crimes ambientais

Pedido de inconstitucionalidade foi feito em 2022 argumentando \"possibilidade real de danos ao patrimônio ambiental e indígena rondoniense\". Votação para declarar a lei inconstitucional foi unânime.

Publicada em 02/03/23 as 16:30h por G1 RO - 24 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
Maquinário destruído pela PF durante operação em terras indígenas de Rondônia  (Foto: Divulgação/PF)
O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a lei de Rondônia que proibia a destruição ou inutilização de maquinários apreendidos em operações e fiscalizações de combate a crimes ambientais. A norma foi criada para atender pedidos de garimpeiros.

O julgamento iniciou no dia 17 de fevereiro e foi finalizado dia 28. O relator, ministro Gilmar Mendes, considerou que a norma é inconstitucional por tratar de assuntos que são de competência da União: editar normas gerais sobre proteção do meio ambiente e legislar sobre direito penal. Ele foi acompanhado pelos outros 10 ministros.

O pedido de inconstitucionalidade foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), em julho de 2022, sob a argumentação de "possibilidade real de danos ao patrimônio ambiental e indígena rondoniense".

Alguns meses antes, o Ministério Público de Rondônia (MP-RO) também ingressou com uma ação no Tribunal de Justiça para tornar a lei citada inconstitucional .

Em seu voto, Gilmar Mendes ressalta que "o direito ao meio ambiente equilibrado é indisponível, inalienável e impõe ao Estado e à coletividade obrigações de fazer e não fazer".

Por que os maquinários devem ser destruídos?
Como citado no voto do relator, a Lei federal 9.605 de 1988 - regulamentada pelo Decreto 6.514 de 2008 - estabelece sanções para crimes ambientais, entre elas a destruição e apreensão de produtos utilizados nos crimes.

Segundo a legislação atual, as máquinas devem ser destruídas para interromper as ações criminosas.

"Nos casos em que for inviável a remoção de produtos ou instrumentos utilizados para a prática de infrações ambientais, a destruição é medida cabível para impedir que, logo após o término das atividades fiscalizatórias, esses produtos e instrumentos sejam, novamente, direcionados à destruição do patrimônio indígena ou ambiental", conclui Gilmar Mendes.

A lei
A lei N° 5.299 foi sancionada em janeiro de 2022 pelo Governo de Rondônia. A proposta que deu origem à lei é de autoria do deputado Alex Redano (Republicanos). Durante a sessão plenária, Redano diz que atendeu pedidos de garimpeiros.

"Eu fiz uma reunião, uma audiência com todos os garimpeiros, nós tivemos o auditório completamente lotado e uma grande reclamação é a fiscalização que deixa inutilizados os bens apreendidos. Então esse projeto proíbe queimar bens particulares, por exemplo, dragas. Afundar dragas e maquinários em reserva, casas em áreas de reserva", disse o deputado, na época.

O Governo de Rondônia e a Assembleia Legislativa do estado, não deram declarações sobre a derrubada da lei até a última atualização desta matéria.






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nosso Whatsapp

 (69) 3322-2589

Visitas: 381563 | Usuários Online: 31

Plan FM - Sua Melhor Companhia! - Todos os direitos reservados

Converse conosco pelo Whatsapp!