Redes Sociais

Nosso Whatsapp

 (69) 3322-2589

Encontre o que deseja

NO AR

Corujão da Plan

    Economia

Contas públicas têm rombo recorde de R$ 58,4 bi em fevereiro

Resultado representa uma alta real de 37,7%, segundo dados do Tesouro Nacional; também foi o pior em valores correntes

Publicada em 26/03/24 as 15:05h por Poder360 - 12 visualizações

Compartilhe
   
Link da Notícia:
 (Foto: Reprodução/Internet)

O governo apresentou deficit de R$ 58,44 bilhões nas contas públicas em fevereiro de 2024. O resultado é o pior para o mês.

Representa uma alta real –descontada a inflação– de 37,7% na comparação com o mesmo período em 2023, quando o saldo negativo foi de R$ 42,44 bilhões em termos reais. O Tesouro Nacional divulgou o balanço nesta 3ª feira (26.mar.2024). Eis a íntegra (PDF – 713 kB) da apresentação.

Também foi o pior resultado em valores correntes. Ao considerar esse critério, o rombo em 2023 foi de R$ 40,61 bilhões.

O saldo primário é formado pela subtração de receitas contra despesas, sem contar o pagamento dos juros da dívida.

RECEITAS

A receita total atingiu R$ 189,35 bilhões em fevereiro, o que representa um crescimento real de 18% (R$ 28,95 bilhões) ante o mesmo período em 2023. A receita líquida –que corresponde à quantia que o governo tem depois de fazer as transferências aos entes da Federação– somou R$ 132,49 bilhões, crescendo R$ 25,09 bilhões (23,4%) em termos reais.

De acordo com o Tesouro, a variação se dá, sobretudo, por estes fatores:

  • Imposto sobre a Renda – aumento de R$ 8,7 bilhões;
  • Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) – alta de R$ 5,8 bilhões;
  • Pis (Programa de Integração Social)/Pasep (Programa de Formação do Servidor do Patrimônio Público) – alta de R$ 2 bilhões;
  • dividendos e participações – queda de R$ 3,7 bilhões;
  • demais receitas – alta de 4,3 bilhões.

DESPESAS

Os gastos atingiram R$ 190,94 bilhões, um acréscimo de R$ 41,09 bilhões (alta real de 27,4%). O crescimento se deu, sobretudo, por estes motivos:

  • sentenças judiciais e precatórios – aumento de R$ 29,4 bilhões;
  • benefícios previdenciários – crescimento de R$ 3,7 bilhões;
  • obrigatórias com controle de fluxo – subiram R$ 2,1 bilhões;
  • discricionárias – aumento de R$ 3,7 bilhões.

ACUMULADO DO ANO

Quando se leva em consideração o acumulado do meses de janeiro e fevereiro, há superavit de R$ 20,94 bilhões. É menor que o saldo positivo de R$ 38,29 bilhões em valores correntes no mesmo período de 2023.

Ao descontar a inflação, o superavit foi de R$ 20,60 bilhões em janeiro e fevereiro de 2024. Fica abaixo dos R$ 40,71 bilhões alcançados nos 2 meses em 2023, em termos reais.






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Nosso Whatsapp

 (69) 3322-2589

Visitas: 361719 | Usuários Online: 3

Plan FM - Sua Melhor Companhia! - Todos os direitos reservados

Converse conosco pelo Whatsapp!